História

        A Associação de Solidariedade Social de Guilheiro (ASSG) começou a ser idealizada nos últimos anos do século XX, por um grupo de guilheirenses entusiasmados com a ideia de proporcionar um apoio condigno aos habitantes mais idosos da freguesia, os quais, enquanto as forças lho permitem, exercem uma atividade intensa, maioritariamente no domínio da agropecuária, regra geral pouco rentável.

        Foi formalmente constituída em outubro de 2001, tendo sido sua primeira Presidente da Direção a Sr.ª D. Clementina Lopes, à data Presidente da Junta de Freguesia de Guilheiro. Iniciou a sua prestação de serviços em 2 de Outubro de 2002, nas instalações da Junta de Freguesia de Guilheiro. Após denodados esforços desenvolvidos pela Direção ao longo dos seus primeiros anos, e graças à colaboração de muitas pessoas individuais e coletivas, nomeadamente o Município de Trancoso e o Ministério da Segurança Social e do Trabalho, em 15 Agosto de 2008 foram inauguradas instalações próprias construídas de raiz, em terreno cedido pela Junta de Freguesia. Estas instalações proporcionaram uma melhoria significativa na qualidade dos serviços prestados, gerando também uma nova dinâmica e um inegável contributo para o desenvolvimento da freguesia.

        Criada com o intuito de minimizar as dificuldades sentidas pela população mais idosa da freguesia, a Associação visa também prestar apoio às famílias e aos indivíduos mais carenciados de Guilheiro, bem como das freguesias dos concelhos limítrofes. Para tal, procura garantir a sustentabilidade e suprir as necessidades básicas de quem recorre aos seus serviços, visando o bem-estar social e a melhoria da qualidade de vida dos seus utentes.

        Os objetivos da instituição incluem vários domínios de atuação, nomeadamente ao nível de apoio à infância e juventude, à família, aos idosos e pessoas com deficiência, à proteção social dos cidadãos nas suas diversas situações de precariedade e incapacidade, à educação e formação profissional dos cidadãos, bem como, na prevenção, promoção e proteção da saúde, através da prestação de cuidados de medicina e assistência medicamentosa.

        Tendo em conta os objetivos supramencionados, a ASSG procura dar resposta às questões e necessidades apresentadas, recorrendo às respostas sociais de que dispõe atualmente, e visando futuras respostas a serem criadas e implementadas, nomeadamente, a criação de um “Mini” Lar.

        Presentemente a Associação tem ao dispor da população um Centro de Dia, com uma capacidade para vinte e cinco utentes, e o Serviço de Apoio ao Domicílio (SAD), com uma capacidade para doze utentes.

        Para além da vertente social a que está associada enquanto IPSS, dispõe também de uma vertente cultural, recreativa, lúdica e formativa. Nesse sentido, a Direção da instituição procura criar atividades que vão ao encontro das espectativas e gostos da população num contexto de promoção do desenvolvimento local. Todas as iniciativas e atividades desenvolvidas nesse contexto têm como propósito criar fundos para a própria instituição, reforçar a socialização e as relações de vizinhança, bem como evidenciar a importância da interajuda entre as pessoas. Dentre essas iniciativas destacam-se os almoços/jantares de convívio, os passeios culturais, as ações de formação de cariz profissional. São exemplo dessas atividades realizadas pela instituição o jantar do Dia da Mulher, o passeio pelo Douro Vinhateiro e os festejos tradicionais. Trata-se de atividades abertas a toda a população, e não restritas aos sócios ou utentes da IPSS.

        De elevada importância é o facto de podermos contar com o apoio de entidades parceiras que, graças à sua generosidade e boa vontade, possibilitam a concretização de alguns dos objetivos e atividades programadas, destacando-se neste contexto a Escola Profissional de Sernancelhe.

          O nosso bem-haja a todos aqueles que connosco buscam o sucesso e a prossecução do serviço prestado.